HBR celebra 15 anos a olha para o futuro.

A história da agência e o seu futuro, pelas palavras do fundador e diretor-geral, Hugo Ribeiro.

A HBR nasceu em 2004 como agência de design e publicidade. O bebé cresceu forte e saudável nestes 15 anos, feitos em 2019, e hoje o HBR Group trabalha com uma missão clara: se é para fazer, é para fazer melhor.

Na base de tudo, três peças-chave.

Criatividade. Serviço. Rede (de conhecimento, de inteligência, de ligação entre os múltiplos players, caso a caso).

Explica Hugo Ribeiro, fundador e diretor-geral da agência: “Criatividade, Serviço, Rede. Parece simples. Mas – já o notava Charlie Chaplin – a simplicidade não é uma coisa simples. Dá muito trabalho”.

Acrescentava outro grande pensador, Bruce Lee, e Hugo Ribeiro concorda com ele: a simplicidade é a chave para a grandeza.

Continua o diretor-geral da HBR, voltando às origens do projeto: “No início, a HBR apostava antes de mais no setor agroalimentar. Mas rapidamente cresceu para outras áreas. Um caminho que foi feito com o apoio de clientes como a Galp Energia, a Oney, o Intermarché, a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, o Instituto Informático da Segurança Social, a Ratiopharm, a Generis, a Prismédica ou os CTT”.

Em 2008, e porque também no mundo das agências o único fator permanente é a mudança, a HBR criou um departamento dedicado para a comunicação e a assessoria de imprensa, dando uma nova solução a um mercado que procura a diferença e premeia a agilidade. Também aqui, a filosofia era simples: o que distingue um líder de um seguidor é a inovação.

Num ambiente muito mais complexo do que era há 15 anos, com a pulverização do mercado, o trabalho das agências – de interpretação, criação e validação de estratégias para produzir credibilidade e visibilidade para empresas, instituições, marcas – aumenta de importância. “E aumenta de importância porque este trabalho da agência, da forma como o interpretamos, tem impacto direto e imediato na viabilidade dos projetos e dos negócios” – um ponto crítico para Hugo Ribeiro.

Entretanto, “em resposta à confiança e ao desafio de vários clientes”, a HBR montou o departamento de organização e produção de eventos. “Mais uma vez, na criatividade, no serviço, na rede – inovar, sempre. Mas uma inovação de coisas reais, para serem usadas, como disse e fez Steve Jobs”, acrescenta Hugo Ribeiro.

Muita coisa mudou nestes 15 anos. Os meios históricos, tradicionais, perderam poder para os novos suportes digitais. Em 2019, podemos gerir uma parte cada vez maior das nossas vidas, pessoais e profissionais, através do smartphone que trazemos sempre connosco. Ao mesmo tempo, o marketing e a comunicação tornaram-se ainda mais especializados e direcionados.

Mas, apesar de todas as transformações e da rapidez crescente a que elas acontecem, a base de toda esta atividade não muda: Criatividade, Serviço, Rede. Ou, dito de outra maneira, “estes três fatores, no fundo, são aquilo que entendemos por qualidade que faz uma genuína diferença”. Porque “a qualidade, como a entendemos, é o elemento-chave que faz mover toda a indústria”.

15 anos de vida, no mundo empresarial e mediático em que vivemos, de rotação e desgaste rápidos, é uma eternidade. Mas a HBR, garante Hugo Ribeiro, olha mais para a frente, “já estamos a escrever o próximo capítulo, movidos pela confiança de quem esteve e está connosco, e dos que – clientes, parceiros, fornecedores, colaboradores – a nós se juntarem nesta aventura de querer ser excelente. Porque ser excelente resulta. Mais do que resulta: gera resultados”.

    Leave Your Comment Here