Montijo será uma escala ou um destino?

Com o novo aeroporto em vias de ser uma realidade, lanço a questão: o Montijo está a preparar-se para ser uma escala ou um destino?

Sou habitante e eleitor no Montijo há 12 anos e, como tal, tenho vindo a acompanhar este grande investimento e tudo o que uma infraestrutura desta dimensão irá promover. É senso comum que pode trazer enormes mais-valias para toda a região, contudo, cabe às entidades locais prepararem-se para embarcar nesta excelente oportunidade.

Aspetos positivos são muitos. Como a criação de emprego, o crescimento económico e demográfico da região, a chegada de novos serviços e novos investimentos, sem esquecer a visibilidade no mapa nacional e internacional. Mas resta agora perceber como vai a região (re)agir para dar resposta a uma nova realidade.

Portugal é um destino turístico com inúmeros prémios ganhos nos últimos anos. Neste campo, Lisboa e Porto têm vindo a destacar-se, com uma oferta cultural e urbanística diversificada e recheada, capazes de gladiar com as praias do Algarve. São territórios com apostas claras no turismo, com um passado e presente de mediatização além-fronteiras. Em comum, todos têm aeroporto e estratégias bem vincadas.

Com o novo aeroporto, o Montijo – e toda a região envolvente – assume uma posição de relevo no panorama nacional que pode, e deve, ser a base de uma verdadeira aposta na promoção do território.

É hora de investir em novas infraestruturas para atrair e acolher os novos habitantes, os filhos da terra que regressam e também os turistas, desenvolver agendas culturais e aumentar a oferta de espaços e atividades de lazer. Importa garantir o bom funcionamento de áreas fundamentais da sociedade como a saúde, a educação e a segurança pública. Mas também importa aumentar o leque de comércio, restaurantes e hotéis, que possam responder aos desejos dos novos visitantes.

O primeiro passo está dado, com a emissão da Declaração de Impacte Ambiental favorável. Esta decisão deve ser o rastilho para que os municípios envolventes possam delinear as suas estratégias. Com dois focos distintos. Por um lado, proporcionar uma melhor qualidade de vida para as suas populações e, por outro, preparar a região para que possa receber mais habitantes e turistas.

O aeroporto, por si só, vai desempenhar um papel importante na região, mas as oportunidades que vai criar devem ser aproveitadas e potenciadas ao máximo. No fundo, é importante garantir condições para sustentar o crescimento de modo a que o Montijo se possa afirmar como um destino.

Artigo de opinião de Hugo Ribeiro, director-executivo da HBR

    Leave Your Comment Here